TURISMO RODOVIÁRIO DEMANDA SINERGIA ENTRE ESFERAS PÚBLICA E PRIVADA

TURISMO RODOVIÁRIO DEMANDA SINERGIA ENTRE ESFERAS PÚBLICA E PRIVADA

         Na segunda parte do Fórum Nacional de Turismo Rodoviário nesta sexta-feira (27) foram abordados projetos inovadores que obtiveram ótimos resultados. “O turismo é feito de coisas singulares e cabe aos municípios descobrir suas raridades”, afirmou o presidente da Paraná Turismo, Jacó Gimennes, ao mediar o painel sobre potencialização do turismo rodoviário.

            Na oportunidade, a representante da Federação de Transporte de Passageiros por Fretamento de São Paulo (Fresp), Regina Rocha de Souza Pinto, apresentou o caso “Ampliando horizontes – Experiências sensoriais no turismo para pessoas cegas e de baixa visão”. Exemplos coroados de êxito são o roteiro “Do cafezal ao cafezinho” (realizado em Espírito Santo do Pinhal/SP) e o projeto “Campo dos Sonhos” (em Socorro/SP). Este leva pessoas com deficiência visual a uma tirolesa. “As cidades devem realizar investimentos para se tornarem mais acessíveis a essas pessoas com dinheiro e desejo de viajar”, afirmou a painelista. O prefeito de Cananeia/SP, Gabriel dos Santos Oliveira, discorreu sobre a experiência do município em turismo do meio ambiente, de base comunitária e educacional. O principal atrativo é o local do Tratado de Tordesilhas. Ele também anunciou para breve a reabertura da Trilha do Telégrafo entre São Paulo e Paraná, chamando atenção para a necessidade de manutenção das rodovias. Outro local peculiar destacado é o município de Maripá (PR) conhecido como Cidade das Orquídeas onde as flores brotam nas árvores.

Para o presidente da Associação Brasileira dos Municípios de Interesse Turístico, Jarbas Favoretto, o painel alertou para a importância de atrair o segmento de pessoas com deficiência para as excursões rodoviárias: ‘É preciso uma profunda dedicação aos detalhes”, disse.

Intraturismo 

            O empresário Alain Baldacci contou aos participantes como foi elaborado o projeto de intraturismo “Cruzeiro Rodoviário”. A ideia era criar circuitos de turismo integrado entre os quatro Estados da Região Sudeste do país: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo.  No entanto, a iniciativa não chegou a obter a autorização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) por ter sido considerada concorrencial em relação ao transporte interestadual. Por esse motivo, a proposta foi adaptada e deu origem à “Rota SP” – um roteiro turístico regional com circuitos intermunicipais, que já transportou mais de 150 mil pessoas. Ainda nesse painel o administrador Edmar Bull relatou a experiência da Copastur em logística e tecnologia de gestão de transporte rodoviário no mercado de viagens de negócios.

Operação

            No painel sobre operação do turismo rodoviário, o diretor geral da empresa CVC, Claiton Armelin Ferreira, destacou o alto grau de profissionalismo e da qualidade dos serviços ofertados pelo setor. Citou como exemplo o Rodo Charter - serviço considerado inovador. “Com pacotes rodoviários, o turista gasta pouco e se diverte muito”, afirmou. Os representantes da Allestur, André Krammel, e da Aviesp, Marcos Lucas, abordaram a necessidade de eliminar conflitos de competências entre leis municipais, estaduais e federais, bem como de uma política de crédito específica para o pequeno empreendedor e um amplo programa governamental de conservação das estradas. Houve críticas aos excessos de regulação estatal que causam insegurança jurídica: “São barreiras ao exercício das atividades e ao desenvolvimento dos negócios”, disse Lucas. Por esse motivo o setor está propondo ao Congresso Nacional mudanças na Lei Geral do Turismo.

            Desenvolvimento de destinos

            O último painel teve como tema “Como idealizar, preparar, vender e recepcionar excursões rodoviárias em sua cidade”. Para o mediador Ney Gonçalves – dirigente da ABAV Nacional – cabe aos municípios fazerem a sua parte para que a iniciativa privada possa desenvolver novos destinos: “Cada município deve identificar o seu potencial, definir seus objetivos turísticos, capacitar guias, taxistas e empregados de estabelecimentos comerciais, bem como conscientizar a comunidade”, assinalou. O debatedor Jarbas Favoretto por sua vez defendeu a contratação de turismólogos pelas prefeituras para profissionalizar a gestão. Ele realçou ainda a importância do enfoque multidisciplinar nas politicas de turismo, agregando profissionais de outras áreas, como educação, cultura e meio ambiente.

O casal de influenciadores digitais Haydée e Agassis Marques aproveitou muito bem o conteúdo dos debates. Interessados em divulgar lugares desconhecidos, ambos fazem road trips pelo mundo, relatando suas vivências no blog Fuxicos de Viagens, que tem público cativo de 450 mil seguidores.

O agente de viagens Flávio Fernandes deslocou-se de São Paulo a Curitiba especialmente para participar desse evento, que considerou muito proveitoso. “Vislumbro uma boa oportunidade para investir, especialmente no que tange às perspectivas de novos negócios de pacotes turísticos rodoviários”, afirmou.

 

Baixar arquivo